Pescas

A pesca exerce-se numa zona económica exclusiva de 600.000 Km2, e possui um potencial importante de crescimento apesar da pequenez da plataforma continental.

É um sector repleto de potencialidades que poderia ser explorado a uma escala industrial. É esta actividade que está, por exemplo, na base da indústria de conservas, maioritariamente de atum.

A proximidade dos mercados europeus e americano e o valor comercial elevado destes produtos poderiam conferir uma forte potencialidade económica, mas, de facto, a actividade da pesca acaba por dar uma modesta contribuição às receitas do PIB (1% em 2004). É, no entanto, uma actividade geradora de emprego e que assegura a segurança alimentar das famílias.

O potencial haliêutico ronda as 36.000 toneladas e apenas uma parte desse potencial vem sendo explorado por uma frota nacional (artesanal e industrial) e estrangeira, que explora os recursos da ZEE, mediante acordos de pesca. A captura da frota nacional estimada para 2006 foi de 9.950 toneladas e o sector da pesca artesanal contribui com cerca de 60 % do total. Em 2005 e 2006 registou-se um aumento considerável nas exportações dos produtos da pesca (9.124 e 15.707 toneladas, respectivamente).

Em Cabo Verde, estão identificadas cinco pescarias artesanais (demersais e tunídeos com linha de mão, pequenos pelágicos com rede de cerco, pequenos pelágicos com rede de emalhar, pequenos pelágicos com rede de arrasto de praia e lagostas costeiras de mergulho) e três pescarias industriais: tunídeos e afins com linha/vara, pequenos pelágicos com rede de cerco e lagosta de profundidade com covos.

As maiores infra-estruturas de apoio à pesca estão localizadas nas ilhas de São Vicente, Sal e Santiago, sendo os principais centros da pesca industrial, onde se localizam as melhores instalações portuárias, infra-estruturas de frio e unidades de transformação do país.

A comercialização dos produtos da pesca originados nas capturas artesanais é realizada quase que exclusivamente no mercado interno, enquanto as capturas industriais visam principalmente a transformação e/ou exportação.

Na década de 90, cerca de 24% da produção nacional era exportado, mas esse percentual diminuiu rigorosamente, atingindo os 4% em 2004, devido ao embargo imposto pela União Europeia (UE), um dos principais mercados externos de Cabo Verde.

Fontes: PADA e AfricaInfoMarket
Copyright © 2020 Cabo Verde Development Gateway. Todos os direitos reservados.
Joomla! software livre. Licença GNU GPL.